Skip to content

Cordel em homenagem ao centenário de Jorge Amado

06/03/2012

Cordelista Antonio Barreto

UM CORDEL PARA JORGE AMADO

Autor: Antonio Barreto, natural de Santa Bárbara,
residente em Salvador

Você já foi à Bahia?
Se não foi, peço que vá!
Jorge Amado ainda vive
Em cada canto de lá
Nas ruas, igrejas, danças
Nos costumes, nas lembranças
E nas águas de Iemanjá!

Quem visita Salvador
Precisa estar antenado
Lá no Pelourinho existe
A Casa de Jorge Amado
Um acervo bem completo
Organizado e repleto
Da vida do nosso bardo.

Sua obra é tão vasta
Que não cabe no papel
Mesmo assim fiz um resumo
No afã de ser fiel
Para homenagear
Jorge Amado – o avatar
Nesse singelo cordel.

Jorge Amado veio à Terra
Coroado de magia:
Mil novecentos e doze
10 de agosto foi o dia
No arraial de Ferradas
Como num conto de fadas
Itabuna, na Bahia.

Teve nosso grapiúna
Por entre campos floridos
A singela companhia
Dos seus dois irmãos queridos
Que cresceram ao seu lado:
Joelson e James Amado
Seus parceiros preferidos.

Filho de João Amado
E dona Eulália Leal
O menino grapiúna
Encontrou logo seu Graal
E tornou-se um escritor
De grandeza, de valor
E fama internacional.

A sua primeira esposa:
Matilde Garcia Rosa
Com quem teve uma filha
Lila – menina mimosa
Que com seus 14 anos
Elevou-se a outros planos
Numa estrela bem briosa.

O segundo casamento
Foi coroado de brilhos
Encontra Zélia Gattai
E com ela tem dois filhos
O João Jorge e a Paloma
E assim Jorge retoma
Seu andar em outros trilhos.

Sua infância colorida
Não foi entre arranha-céus
Deu-se à beira do Atlântico
Na cidade de Ilhéus
Litoral de inspiração
Para no futuro então
Receber os seus troféus.

Foi ali que Jorge Amado
Vivendo à beira do cais
Sob sóis, luas, estrelas
Observando sinais
De feirantes, pescadores,
Caravelas, sonhadores
Tornou-se um bardo capaz.

No balanço do destino
Lá se foi o buscador
Lapidar a sua alma
No oráculo Salvador:
A capital da Bahia
Lusitana na magia
Africana no amor.

O adolescente encontra
Nas ladeiras de Gregório
O caminho para as letras
Abrindo o seu oratório
Para a vida literária
Rebelde, universitária:
Seu grande laboratório.

Jorge Amado aos 15 anos
Então iniciaria
No mundo do jornalismo
No Diário da Bahia
Dando provas que assim
Nosso grande querubim
A todos encantaria.

A famosa Academia
Dos Rebeldes, Jorge Amado (28)
Foi um dos seus fundadores
Comprovando ser letrado
Assim nasce o escritor
O nosso maior condor
Um romancista aclamado.

Uma revista importante
Chamada “Meridiano”
Jorge publicou um número
Vinte e oito foi o ano
Com grande repercussão
Surpresa e admiração
De todo leitor baiano

Muito mais que inquieto,
Dá então prosseguimento:
Colabora com a revista
Intitulada “O Momento”
Nove números publicados
Que foram logo esgotados
Mostrando assim seu talento.

Sonhou ser advogado
E prosseguiu no seu pleito.
Mesmo sendo um literato
Formou-se então em Direito
Concluindo lá no Rio
Com destaque e muito brio
Mas não ficou satisfeito.

Militante de esquerda
Desistiu de advogar
Abraçou a literatura
E seguiu seu caminhar
Pois a vida literária
Era a causa necessária
Para ele então brilhar.

Antes do primeiro livro
Uma parceria bela
Com Edson Carneiro e
Dias da Costa: a novela
Intitulada “Lenita”
Em capítulos escrita:
Abrindo a sua aquarela.

Escreve o primeiro livro
Seu romance inaugural
No ano de trinta e um:
“O País do Carnaval”
Sendo o ponto de partida
Da trajetória luzida
De cunho internacional.

Em seguida, vem “Cacau”
No ano de trinta e três.
Em trinta e quatro, “Suor”
Foi o romance da vez.
Daí nosso romancista
Foi o primeiro da lista
Com bravura e polidez.

A partir desse momento
Suas obras consistentes
Tornam-se reconhecidas
Em todos os continentes
E Jorge feito um condor
Passa a ser o escritor
De romances reluzentes.

Veio então “Jubiabá”
No ano de trinta e cinco
E “Mar Morto” em trinta e seis
O seu mais singelo brinco
Depois “Capitães da Areia”
Uma obra de mão cheia
De maestria e afinco.

É deveras muito vasta
A lista dos seus escritos
Então vou relacionar
Para não causar atritos
Aqueles mais adorados
Traduzidos e amados
Certamente os mais bonitos!

Eu cito: “Farda, Fardão,
Camisola de Dormir”
Um romance curioso
Que muito me fez sorrir;
Sem falar de “Gabriela
(Formosa) Cravo e Canela”
Que o mundo pôde curtir.

“Dona Flor e seus dois Maridos”
Não esquecerei jamais
Também “Pastores da Noite”
“Seara Vermelha” – um ás!
“Terras do Sem Fim”; “Tieta
Do Agreste” – a violeta
Que são obras imortais.

Lembro “Tereza Batista
Cansada de Guerra”, ou não?!
“A Morte e a Morte de Quincas
Berro D’Água”, meu irmão:
A esperteza do baiano
Um povo belo, profano
Afro e luso em ação!

E não para por aqui
Essa obra incomum:
Tem “Os velhos Marinheiros”
“O Compadre de Ogum”,
“Tenda dos Milagres”, sim
Parece não ter mais fim
Nessas águas de Oxum!

Quase, quase me esquecia
Do meu livro predileto:
O “São Jorge dos Ilhéus”
E um outro tão completo
Chamado “Tocaia Grande”.
Veja então como se expande
A relação que coleto!

Jorge Amado também soube
Na sua pena versejar
Escrevendo bons poemas
Em “A Estrada do Mar”
Um livro mais que singelo
Em que Jorge, com anelo,
Pôde nos presentear.

Com o mundo da criança
Jorge esteve preocupado
E um infanto-juvenil
De nome “O Gato Malhado
E Andorinha Sinhá”
Com a força de Iemanjá
Por ele foi publicado.

Sem falar em outro gênero
Que ele fez com maestria:
“O ABC de Castro Alves”
Uma linda biografia,
Além da grande pujança
“Cavaleiro da Esperança”
Com luz, prosa e poesia.

Os seus livros de memórias
Estão na vasta bagagem.
Lembro de “Navegação”
(aquela) de Cabotagem”;
E o “Menino Grapiúna”
Em que Jorge se afortuna
Por toda e qualquer paragem.

Diversos contos e crônicas
Escritos por Jorge Amado.
No teatro, bela peça
De nome “O Amor do Soldado”.
Além de correspondência
Com pessoas de influência
Desse universo letrado.

E no âmbito da política
Aumenta seu cabedal
Fora eleito por São Paulo (1945)
Deputado Federal.
Sendo ali a sua vez
Para criar novas leis
Na cultura nacional.

Durante a era Getúlio
Foi deveras pressionado.
Filiado ao PCB,
Do Brasil foi exilado
No Uruguai, França, Argentina
E em Praga – assim termina
O sofrimento do bardo.

Jorge ocupou a cadeira
Cujo patrono Alencar
Na famosa ABL
Seu merecido lugar
Com sucessão aferida
À sua musa querida:
Zélia Gattai – o seu par.

Muitos troféus recebidos
No Brasil e além-mar:
“Graça Aranha”; “Jabuti”
E mais dois que vou citar:
“O Nestlé”, “Moinho Santista”
E tantos outros na lista
Deste grande avatar.

No estrangeiro, recebeu
Muitos prêmios de cartaz:
“Sofia”, “Moinho Itália”
“O prêmio “Lênin da Paz”
“Pablo Neruda”, “Camões”
E tantas outras moções
Deste baiano sagaz.

Traduções no mundo inteiro
Do esloveno ao albanês
Do inglês ao espanhol
Do mongol ao holandês
Do árabe ao catalão
Do croata ao letão
Do guarani ao francês…

Foi Doutor Honoris Causa
Pelo grande labutar
Em 10 universidades
Do Brasil e além Mar:
Itália, França, Bahia
Portugal, com alegria
Inda consigo lembrar!

A obra de Jorge Amado
Ganhou adaptações
No teatro, no cinema
Nos cordéis e em canções
Seriados e novelas
No colorido das telas
De muitas televisões.

Falar das características
Da obra deste baiano
É tarefa mais que árdua
Posso navegar no engano
Contudo não perco o prumo
Então vou fazer um resumo
Como um bom samaritano:

Na sua primeira fase
Um Jorge politizado
Buscando dar voz ao povo
Excluído e injustiçado
Prostitutas, marginais
Proprietários rurais,
Todo o proletariado.

Jorge não perdeu de vista
As denúncias sociais
Tanto o povo das metrópoles
Como das zonas rurais
Coronéis, comerciantes
Marinheiros, traficantes
Burgueses e muito mais.

E na sua prosa única
Aprendeu a transitar
Nos caminhos do erudito
E também do popular
Exaltando a Bahia
Dos costumes à magia
De forma peculiar.

Embora materialista
Jorge Amado era de fé
Um fiel simpatizante
Do famoso candomblé
Sendo ali grande “Sinhô”
Com título de Obá Xangô
Sem nunca arredar o pé!

Mas São Jorge lá na lua
Fez o seu grande chamado
E no dia seis de agosto (2001)
Disse: “Pode vir, Amado,
O Mistério te conduz
Pois na Estação da Luz
Teu lugar foi reservado…“

FIM

Salvador, Novembro 2011


Anúncios
3 Comentários leave one →
  1. Danilo permalink
    02/11/2013 17:15

    muuito bom *-*

  2. 27/09/2012 18:54

    eu quero cordel falando sobre o nordestinoooooooooooo.

  3. emrson permalink
    05/09/2012 9:55

    muito bom

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: